segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Aromas na taça: dicas e técnicas para desenvolver seu nariz

Aromas do vinho não são uma lenda: sem chegar a estes excessos de uns degustadores sem noção, a verdade é que existem e são muito importantes.

O olfato é componente fundamental na apreciação de um bom vinho, até na parte gustativa: tente beber o vinho com o nariz fechado e verá que tem outro sabor. Nao é a toa que as taças de vinho têm justamente o formato que auxilia o trabalho do seu órgão olfativo.

Todos nós temos capacidade para distinguir aromas de vinhos. Mas então como se explica que uns os sentem claramente e outros não?

A chave está na memória olfativa.
Todo mundo tem a própria, porém nem todo mundo consegue valorizá-la. Mas com um pouco de prática e treinamento é possível chegar a sentir aromas hoje inimagináveis.

Seguem umas pequenas dicas e técnicas para desenvolver seu nariz.

Os cheiros não são uma barafunda, mas uma sucessão de nuances. Quando aproximamos o nariz à taça, pra começar devemos ter uma primeira abordagem olfativa sem mexê-la: tente identificar os possíveis aromas com a taça parada, pois o movimento facilita a areação das substâncias químicas voláteis.

Importante é não inspirar com violência e com intervalos regulares. O cérebro consegue identificar as fragrâncias conhecidas distintamente somente com certa calma. Passa de um cheiro para outro, mas isso não quer dizer que o primeiro tenha sumido, mas que está à procura de aromas sucessivos.

Você vai perceber 3 tipologias de aromas:

Os aromas primários são aqueles típicos da casta de uva e podem mudar bastante dependendo da maturação da uva e do terroir.
Os aromas secundários são aqueles formados durante a fermentação (alcoólica e malolática) e geralmente dão notas de fruta e vegetais.
Os aromas terciários são devidos ao envelhecimento do vinho (infelizmente, às vezes muita presença de madeira acaba escondendo os outros).

Agora gire a taça: irão aparecer mais aromas ainda.

A coisa fundamental a respeito da memória olfativa é que obviamente vale para os cheiros que você conhece (não adianta tentar sentir o mirtilo se você nunca chegou perto de um...!).

O truque está no treinamento: fique mais atento aos cheiros que nos acompanham no cotidiano e tente cheirar mais coisas possíveis. Por exemplo, quando for ao hortifruti ou na floricultura pegue uns produtos e cheire; quando está cozinhando aproxime o nariz aos temperos, e por aí vai. Desta forma o seu cérebro vai formar um registro que vai ser seu aliado nas degustações.

Ah, e não esqueça da temperatura ideal: vinho gelado demais terá os aromas fechados; já se for quente o cheiro do álcool vai sobressair e esconder os outros.

Pronto! Agora que está treinado que nem cão anti-drogas verá quantas surpresas uma taça de vinho pode reservar.

6 comentários:

  1. Gostei muito deste post, que até imaginei um livro seu, pois ajudaria muitos iniciantes...Enquanto isso, continuarei lendo os posts por aqui...
    Felizes Natal e novo ano.
    Sadações.

    ResponderExcluir
  2. Puxa Mario! Sinto-me lisonjeado pelo seu comentário, mas acho um pequeno exagero eu publicar um livro...! Sobretudo ainda tropeçando no meu português de gringo...!
    Mas agradeço (e muito!) pelo seu elogio.
    Por enquanto vamos ficar por aqui, e quem sabe um dia (graças também ao reconhecimento de leitores gentis como você), eu chegue lá...
    Obrigado pela força,
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Oi Mário, adorei seu post; interessante e esclarecedor...parabéns!

    Tenha um bom dia,

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Mario, adorei o post: simples, direto e objetivo! Facilitou o aprendizado que tive em um curso que fiz, que me confundiu um pouco...rrss E o post dos excessos está hilário! E eu achava que não tinha jeito para os vinhos por não notar determinados aromas dos "pseudo experts"....rrss
    Obrigada!! E parabéns!!! Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Denise,
    Muito obrigado. Eu tento divulgar a cultura do vinho de maneira mais descomplicada, com uma abordagem mais leve e direta. Fico feliz que gostou.
    Obrigado pela leitura e pelo seu sincero e gentil comentário.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...