domingo, 5 de dezembro de 2010

O vinho mais antigo à venda e outras raridades em circulação

Hoje falamos de uma das questões que mais fascinam dentro do mundo do vinho: vinho antigo.
Já comentamos aqui sobre o tempo de guarda , e sobre os champagnes de 1780 achados no fundo do mar, mas hoje quero ir além e descobrir com vocês as maiores raridades do mundo do vinho ainda em circulação.

Restos mais antigos de vinho: 6.000 aC
Jarros de cerâmica que continham vinho foram descobertos na República da Geórgia. Claramente não havia líquido nos frascos, mas os sedimentos encontrados nas cerâmicas apontam que se tratava mesmo de vinho. Uma safra de 8mil anos atrás! A coisa mais fascinante ainda é que junto aos sedimentos foi encontrada uma resina de árvores e os cientistas acreditam que era usada para preservar o vinho.

Vinho mais antigo ainda em produção: 800 aC
Trata-se do Commandaria, vinho de sobremesa da ilha de Chipre (no Mar Egeu ao sul da Turquia): produzido com a passificação das uvas autóctones Xynisteri e Mavro, descrito pelo poeta grego Hesíodo em um poema de 800 a.C. Isso faz do Commandaria o mais antigo vinho ainda sendo produzido mais o menos como era na época.

Mais antiga garrafa de vinho: 325 dC
A mais velha garrafa já achada com algo semelhante a vinho foi descoberto em Speyer, na Alemanha em 1867 durante a escavação de fundações para uma nova casa. Estudos provaram que ela continha vinho. A garrafa data cerca de 325 dC.

Mais antigo produtor de Champagne: 1584
Fundada em 1584, a casa Gosset é o mais antigo produtor de vinho na região de Champagne. Naqueles dias, porém, o vinho não era o produto espumante que conhecemos hoje. Esse processo não começaria até o final do século 17, e por quase 125 anos a prática da produção de um vinho espumante por segunda fermentação na garrafa ficou uma ciência inexata e propensa a acidentes. De qualquer forma, a família Gosset estava certamente lá na criação da indústria de vinhos de Champagne.
Supostamente Pierre Gosset era conhecido por produzir vinhos principalmente tintos naqueles primeiros anos, um fato surpreendente, levando em conta a dificuldade de enólogos modernos com castas tintas na região de Champagne. A região é fria e a estação de crescimento é curta, por isso os vinhos tendem a ser de corpo leve e acidez elevada, o que é ideal para ... você adivinhou! Borbulhas!

Mais antiga barrica: 1594
Uma barrica gigantesca com 5 metros de diâmetro e capacidade de mais ou menos 144mil litros (fazendo parecer a atual recordista uma latinha...), demorou 2 anos para ser construída e foi completada em 1594 na Alemanha. Foi construída para celebrar a visita do Rei dinamarquês Cristiano IV. Este povo sim sabia como comemorar!

A mais antiga Denominação de Origem: século I a.C
O Falerno del Massico ainda hoje produzido na região italiana da Campania era o vinho mais famoso, apreciado e caro da antiguidade. Ele pode ser considerado como a primeira D.O.C. da enologia mundial. De fato os antigos romanos, que tinham grande consideração por este vinho, costumavam guarda-lo em jarros fechados por rolhas equipadas com pequenas placas que garantiam a origem e a safra.
Registros e elogios para o Vinum Falernum são freqüentes nas obras de Horácio, Plínio e Cícero. Já o Petrônio conta de um jantar luxuoso onde os haustores (os antigos sommelieres) serviram um Falerno de 100 anos.

O mais antigo vinho atualmente à venda: 1727
O vinho mais antigo hoje à venda parece ser um Rüdesheimer Apostelwein da região alemã de Rheingau. É procedente de uma grande barrica, que hoje descansa nas adegas da Câmara Municipal de Bremen. A safra originária do vinho na barrica é de 1727, mas a ela vêm periodicamente adicionadas parcelas do mesmo vinho de safras mais recentes para poder manter o vinho em perpétuo.
É possível encontrar exemplares recentemente engarrafados em leilões na Christie’s. Mas se quiser ousar mais, voe até Bahamas e procure o Hotel Graycliff. O restaurante do hotel tem uma engarrafada em 1950. Ah, esqueci: separe uns U$ 200mil, pois isto é o valor aproximado dela. E trata-se de meia-garrafa!

6 comentários:

  1. tenho um vinho bicentenario para vende grandelite

    ResponderExcluir
  2. Tenho 25 garrafas de vinho de 50 ,70 anos pra vender interessa, facebook jonattan salles..

    ResponderExcluir
  3. Tenho um vinho tinto suave de 1813 , teria algum interesse?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quanto vc pede pela garrafa ?

      Excluir
    2. Interessa um Chateau Margaux 1985?

      Excluir
    3. VINO BLANCO SECO VIZCONDE DE AYALA DE 1972 RESERVAS DE ANADAS ESPECIALES HARO-ESPANA VINO BLANCO DE MESA ESPANOL ADECUADO PARA MEJOR SABOREALOS PLATOS DE MARISAOS. SIRVASE. bien frio. ESTA GARRAFA DE VINHO BRANCO SECO TEM 42 ANOS TO VENDENDO POR 30.000.00 TEL; 941596694 FALAR COM MARQUINHOS BAR..... SP BRASIL

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...