domingo, 20 de fevereiro de 2011

Campanha “Rolha por R$15”: MONDOVINHO APÓIA

Para recuperar o tempo perdido vamos logo com o segundo post do dia. E sobre um tema bastante polêmico. A taxa de rolha nos restaurantes, e uma campanha lançada por outros blogueiros. Mas vamos por degraus, explicando primeiro o que é isto.

O sistema de taxa de rolhas vem se difundindo a partir da Austrália e Nova Zelândia, mas é bastante comum em muitos países anglo-saxões, onde se chama de BYO: Bring Your Own (subintendendo Bottle). Ou seja: traga a sua garrafa de vinho para o restaurante.

A idéia é de poder levar o seu rótulo preferido ou aquela garrafa rara que você estava guardando para comemorar uma ocasião especial, para o restaurante que não tem este rótulo na própria carta de vinhos.

Tem uns restaurantes (raros, na verdade) que pelo serviço não cobram nada, mas me parece adequado que os restauradores coloquem um custo (que inclui resfriamento, taças, serviço), chamada de taxa de rolha.

Agora, para ser franco, têm dois lados da medalha, a meu ver ambos errados.

Um lado é que os restaurantes costumam praticar preços absurdos para os vinhos, que chegam a custar até 300% a mais que nas lojas.

Outro lado é que os consumidores, para justamente evitar este abuso, queiram levar um vinho qualquer, ou até um já presente na carta de vinhos, somente para economizar.

O ideal seria que as duas partes tivessem bom senso, se não se chega a uma bola de neve enorme que não vai parar de rolar.
Têm restaurantes aqui no Rio que cobram até R$ 120 para a taxa de rolha (sobre a qual será aplicado também o 10% de serviço!) o que é claramente um explicito incentivo para o cliente não levar a própria garrafa. Pior que muitos restaurantes cobram caro e o serviço não é nada adequado, com taças ridículas e garçons não treinados.

De contra tem restaurantes que valorizam o acompanhamento de um bom vinho, com cartas cuidadosamente preparadas, profissionais competentes e serviço impecável, que não merecem ser “humiliados” por clientes levando um reservado qualquer e que ainda não querem pagar pelo serviço.

Nestes dias o blog Adega para Todos levantou a questão e lançou a campanha "Rolha por R$ 15,00", que me parece um preço justo, que pagaria o serviço e eventuais danos como quebra de taça, etc.
Logo em seguida o blog Vivendo a Vida apoiou a campanha e aumentou mais ainda o volume do protesto.

Eu apóio totalmente a campanha me unindo aos amigos acima e convido os outros blogueiros a fazer a mesma coisa.

Deixe aqui o seu comentário (seja a favor ou contra), contando as próprias experiências e sugestões.

.

8 comentários:

  1. Meu amigo Mario, abri outro post no blog que já esta com 20 comentários. Cheguei a conclusão que é um tema muito polemico. Vou elaborar uma cartilha dos restaurantes e suas respectivas taxas, alem de uma orientação aos enófilos como proceder.

    Abs e saúde
    Silvestre

    ResponderExcluir
  2. Silvestre,
    Se posso ajudar, o site Enoventos publicou uma bela planilha com restaurantes e preços do Rio de Janeiro. De uma olhada: http://www.enoeventos.com.br/201004/rolha/rolha.htm
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Grande post, como sempre, Mario !!!
    Concordo plenamente com você - não faz sentido nenhum querer cobrar 120 reais de taxa de rolha, como não faz sentido levar um vinho de terceira categoria para um restaurante legal. Você colocou extremamente bem a questão !
    Vou postar sobre o assunto no meu blog também, citando os outros blogs.
    Abraços !

    ResponderExcluir
  4. Nivaldo,
    Você é sempre gentil demais, mas fico feliz que concordou com a minha visão.
    Não vejo a hora de ler a sua matéria a respeito.
    Obrigado e um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Mario, grande Mario.

    Penso que o bom senso é que dita as atitudes de nossa vida. Por analogia entendo que a frase "Não explore o turista e sim o turismo" deve ser aplicada ao caso. Não explore o amante dos vinho e sim traga-os ao seu restaurante. E para trazê-los só há dois caminhos, cobra-se um preço simbólico pela rolha ou oferece bons vinhos a preços aceitáveis. A única que entendo errada é cobrar excessivamente pelo vinho. Em capitais menores como Porto Alegre complica mais ainda eis que os fornecedores de vinho também tem lojas aí é inevitável, ao ver os preços da loja, sentir que foi explorado. Depois vem o célebre ditado árabe: Se me enganas uma vez o culpado és tu se me engana duas vezes o culpado sou eu."

    Abraço Peter www.alemdovinho.wordpres.com

    ResponderExcluir
  6. Peter,
    Como sempre os seus comentários são além de apropriados, alias são "além do vinho"! ;-) A sua analogia com o turismo é perfeita.
    Está parecendo que os restaurante preferem não vender os vinhos e servir refrigerante para os clientes...
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde,
    Trabalho em um Restaurante que tem uma excelente carta de vinhos, e também o considero com um ótimo serviço do vinho.
    Sempre achei que o cliente que traz um bom rótulo, de sua adega particular, para tomar com a nossa comida, chega a ser um elogio... Algo que nos dá até prazer... Acho que esse não tem que pagar rolha nenhuma.
    Só que pela experiência que temos, essa não é a média das ocorrências... A grande maioria quer mesmo é economizar, trazendo um vinhozinho qualquer. E para isso, continuo achando que deve até mesmo ser proibido! Longe da polêmica de que valor cobrar, acho que não deve ser aceito...
    Só que, para não sermos antipáticos, cobramos uma rolha cara. E a intenção é que realmente os clientes não tragam seus vinhos.
    Vocês falam em rolha de 15,00. Mas isso não paga nem a taça que usamos...
    E mais: Ninguém reconhece que os Restaurantes, bem como quase todo comércio do país, sofre com as ingerências, incompetências e impostos roubados do nosso governo Lula /Dilma. Posso desafiar qualquer um a ganhar dinheiro em Restaurante, cobrando baixas margens nos vinhos e na comida.
    Não quero polemizar a discussão. O fato é que para os clientes que querem dar de malandros, continuo achando que a rolha deve ser cara. Para os de boa fé, que trazem bons vinhos para harmonizar, reconhecendo a nossa qualidade, a rolha nem deveria existir...
    E como não temos como garantir a boa fé de todos, cobramos uma rolha razoável.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme,
      Muito obrigado pelo seu testemunho. Como eu disse no post, clientes que levam para o restaurante vinhos genéricos somente para economizar, são igualmente condenáveis.
      Você disse que R$15 não paga a taça do seu restaurante: eu acredito, mas não necessariamente a taça vai quebrar e ao longo de vários clientes o preço será logo compensado. Por outro lado eu já vi restaurante cobrar rolha cara e oferecer um serviço medíocre e taças inapresentáveis.
      A verdade é que se todos os restaurantes aplicassem repasse honesto nos vinhos, não haverá motivo para ninguém querer levar uma garrafa própria (boa ou ruim que seja): o consumo seria maior e o restaurante lucraria na quantidade e não na singula garrafa.
      Eu entendo as dificuldades do setor, mas antes que impostos e todo mais, é a mentalidade que tem que mudar.
      Obrigado por acrescentar a discussão com o seu comentário.
      Abraço!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...