terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Terrunyo Carmenere: belo vinho, mas de presente é melhor!

Como disse aqui, todas as pessoas que conheço gostam de vinho (podem até não beber por questão de preço/religião/cultura), mas todo mundo gosta.

Todo mundo menos uma. E curiosamente, a única pessoa que conheço que não gosta de vinho é ironicamente chilena. Pois é, a amiga Maria Paz, de Santiago do Chile, adora cerveja, mas não quer saber de vinho. 
Ninguém é perfeito, né?

Mas felizmente, compensa este seu pecado mortal com uma grande generosidade: encomendei este Terrunyo Carménère para ela, que pontualmente trouxe do Chile, mas não quis de jeito nenhum aceitar o meu dinheiro, e insistiu para me dar a garrafa de presente. E vejam que não se trata de um vinhozinho mais ou menos: é um vinhozinho MAIS! E agradeço mais uma vez publicamente a Maria Paz pelo presente.

Agora vamos aos interesting facts:

Não vou falar da vinícola Concha Y Toro, que todo mundo conhece, posso somente adicionar que ocupa o segundo lugar no ranking das marcas de vinho mais poderosas do mundo.

A Terrunyo é uma das linhas top da vinícola com uvas procedentes dos melhores vinhedos da casa e particularmente este Carménère, vem do vinhedo de Peumo (o mesmo que origina o ícone Carmín de Peumo), considerado como talvez o melhor terroir para esta casta.

O da safra 2006 por mim degustado levou 94 pontos pelo Parker, 93 pelo Descorchados e 92 pela Wine Spectator (lugar #63 na lista dos Top100 do mundo em 2009).

Pessoalmente ficaria com a nota da WS, pois é um grande vinho, mas não chegou a empolgar tanto assim.
Com certeza elegante. Aromas florais e minerais. Na boca muito aveludado e macio (decantei por cerca de 1 hora), boa complexidade (18 meses em carvalho), taninos finos e acidez na medida. O que me decepcionou foi o final leve e pouco persistente que não foi à altura do resto.

No rótulo é declarado como não filtrado, mas pessoalmente não diria...não estou dizendo que é mentira, mas não dava para perceber: o corpo muito límpido e nítido, não deixou sequer um sedimento nem na taça nem no decanter...fiquei com a dúvida, mas provavelmente estou enganado...

De qualquer forma um belo exemplar da casta Carménère  (no blend também pequenas parcelas de outras castas, veja a ficha abaixo), que certamente merece ser provado, mas talvez não com o alto preço cobrado aqui no Brasil. Vale a pena comprar no Chile, ou melhor, ser presenteado com ele!

Voto gringo: 7 ½

Vinho: Terrunyo Carménère 
Safra: 2006                            
Produtor: Concha Y Toro
País: Chile
Região: Vale do Rapel
Uvas:  Carménère 85%  / Cabernet Sauvignon 12% / Cabernet Franc 1 % / Petite Syrah 2%,
Teor Alcoólico: 14,5%
Importadora: VCT
Custo médio: R$ 220,00

2 comentários:

  1. adorei compensar meu pecado!!!
    grande abraço Mario.

    ResponderExcluir
  2. Paz, vc é demais!
    Saudade de você!
    Um beijo!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...