quinta-feira, 3 de junho de 2010

E o homem voltou a ser "primitivo"

Quiz: o que fazem juntos um economista, uma produtora de eventos, uma sommelier, um guru do marketing mundial e um profissional de relações internacionais?

Resposta: tomam vinho, é claro.

Esta pequena delegação da nossa turma de marketing de vinhos, foi se despedir do “Grande Mestre” Túlio Rodrigues (uma das maiores personalidades no mundo de negócios de vinho do País) que voltava para São Paulo. Enquanto esperávamos a hora do seu vôo, nada melhor que tomar um bom vinho. Fomos a um conhecido wine-bar/restaurante na Praia do Flamengo e eu fui o encarregado a escolher o vinho.

Escolhi o Primitivo di Manduria DOC da Masseria Trajone.

Não conhecia o rótulo em si, mas conhecia o produtor (por ter provado um bom Nero d’Avola dele) e sendo a uva primitivo uma das minhas favoritas, arrisquei com uma certa confiança.

A uva Primitivo é típica do sul da Itália e autóctone da região de Puglia, mas é nas redondezas da pequena cidade de Manduria que alcança níveis fantásticos – este DOC já é chamado de Amarone do sul.

Muitos afirmam que a Primitivo é a mesma uva da Zinfandel, que é típica da Califórnia, mas parece que são duas “filhas” de uma mesma casta croata chamada Plavac Mali (que nome fácil, hein?).

E tenho que dizer que o resultado da minha escolha superou a expectativa e a própria confiança e o vinho se mostrou perfeito para a ocasião.

Aromas de tabaco, baunilha e café, belo corpo, volumoso na boca, bastante complexo, equilibrado e com boa persistência.

O Cláudio aprovou em pleno a escolha, a Mônica me agradeceu pela experiência, a Kátia e o Túlio acabaram levando mais uma garrafa pra casa e eu fiquei muito feliz de ter contribuído com a minha escolha a harmonizar as nossas conversas.

E no final o Túlio foi tão gentil em oferecer o vinho, fazendo questão de pagar a conta. Ficamos todos gratos, mas se tivesse imaginado teria pedido um Romanée-Conti!

Brincadeiras a parte, foi um final de tarde muito agradável entre pessoas especiais, que compartilham a mesma paixão pelo vinho e para tudo que o vinho representa. Podemos falar em todos os tecnicismos possíveis, mas afinal um dos sentidos do vinho é de agregar as pessoas e o rótulo em questão cumpriu muito bem este papel.

P.S. o Primitivo di Manduria Masseria Trajone é importado pela Vinci Vinhos.

2 comentários:

  1. Oi Mario, achei hoje, meio que sem querer o seu blog e gostaria de parabeniza-lo.
    Me interessei por esse vinho, mas você não informou no post o preço médio desta garrafa.
    Obrigado e um grande abraço,
    T. Vieira,
    @Twittando

    ResponderExcluir
  2. Olá T.Viera,
    Muito obrigado pela sua visita e comentário.
    Em todos os meus posts coloco sempre o preço, não foi este o caso pois, como escrevi, foi oferecido por um companheiro de mesa e achei pouco elegante...
    De qualquer forma custa cerca de R$45,00 direto na importadora (Vinci), em lojas custa um pouco mais.

    Se gosta de Primitivo e quiser provar um de virar a cabeça eu recomendo este aqui ( http://bit.ly/bKzoh2 ): é bem mais caro, mas estamos em outro patamar. Vale muito a pena.

    Obrigado, grande abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...