quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Retrospectiva 2014: a lista dos melhores vinhos do ano!

O título é uma "armadilha" ehehe, pois quem acompanha o blog sabe que na verdade a lista dos melhores aqui se reduz a apenas um vinho: o que mais emocionou. Para os novos leitores explico que acho redutivo e injusto compilar uma lista tendo de deixar fora muitos excelentes vinhos provados em situações não ideais. O degustador também está sujeito a dias bons e ruins, assim como em qualquer outro tipo de disciplina (afinal nem o Messi tem rendimento constante, né?) e qualquer avaliação é afetada por muitos fatores: um mesmo vinho degustado em momentos/ocasiões/climas/lugares e companhias diferentes acabam dando para o degustador resultados igualmente diferentes. Para poder fazer uma lista realmente confiável e justa, os mesmos vinhos teriam que ser repetidos mais vezes ao longo do ano e em situações diferentes, mas haja tempo, dinheiro e disposição para isto! 

Nada contra quem faz as listas, aliás muitos amigos e colegas blogueiros sabem faze-las com bastante propriedade, mas o princípio básico deste blog é descomplicar o vinho, privilegiando o prazer e a descontração ao invés de meros números e listas assépticas.

Por isto eu sempre digo que o melhor vinho nunca corresponde ao melhor produto em si e sim, mas ao que está ligado aos melhores momentos e lembranças. Será que é possível numerar ou pontuar emoções?

Dito isto, dentro das centenas de vinhos tomados em 2014, este foi o meu preferido do ano: Château Haut-Bages Liberal 2005.

Sou fã confesso de Bordeaux (quem não é?) e este é mais um belo exemplo do que esta privilegiada região pode proporcionar. Classificado oficialmente como Cinquième (5°) Grand Cru Classé em 1855 não é dos mais badalados nem dos mais caros grand crus de Médoc, mas seu terroir em Pauillac sim, e a vinícola tem tido um desempenho consistente ao longo de sua história. Grande parte dos vinhedos está praticamente colada aos do Château Latour, sendo plantados com Cabernet Sauvignon e Merlot, de idade média de 40 anos. A maturação ocorre por 16 meses em carvalho, 40%  novo.

Esta safra de 2005, considerada histórica e excepcional em Bordeaux, ajudou mais ainda para o resultado final e embora teria mais uns 20-30 anos de vida pela frente, o vinho estava perfeito para meu gosto.

Nariz floral delicado, com mirtilos, amoras e notas minerais, evoluindo para um leve terciário defumado. Na boca corpo médio de pura seda, com camadas de sabores que vão de frutada a herbáceas, passando por chocolate, café, alcaçuz e tabaco. Acidez, álcool, taninos e madeira em perfeita harmonia, para um resultado final de grande elegância, terminando com um final persistente e delicioso.

Não é dos mais baratos nem dos mais caros vinhos provados neste ano (numa faixa de 15 a 2.000 Reais), foi um dos vinhos bebidos na noite de Natal, e pelos motivos acima citados sei que a escolha foi influenciada pela atmosfera natalina, pela companhia e por estar mais fresco na memória. Mas, de qualquer forma é um vinhaço.

Obrigado pela preciosa presença e força em 2014, desejo a todos um 2015 repletos de motivos para comemorar com grandes brindes!

Vinho:
Château Haut-Bages Liberal
Safra:
2005
Produtor:
Claire Villars-Lurton
País:
França
Região:
Bordeaux - Pauillac
Uvas:
71 % Cabernet Sauvignon, 29 % Merlot
Alcoól (Vol.)
13%
Importadora
Várias
Preço médio
R$ 400,00
Avaliação internacional
WS 93; WE 93; RP 90
Avaliação MV
*** (memorável)


Um comentário:

  1. Você podia criar uma votação no blog. Qual o melhor tinto? E o branco? E o rosé? Além de nos contar qual foi o seu memorável.
    Um abraço. Feliz 2015! Tom

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...