sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Mais um ícone de Bordeaux, confira!


Em minha adega tenho uma garrafa do Château Brane-Cantenac que estou louco para abrir, mas ainda não tive a oportunidade. Aí o amigo Bruno resolveu o problema: aniversário de um amigo, jantar marcado no CT Trattorie, rolha free pela ocasião, cada um levando sua garrafa. E não é que o Brunão surpreende todo mundo levando um Brane-Cantenac 2003? Neste ponto eu nem queria saber mais dos outros vinhos (embora excelentes): teria ficado só com este grande Bordeaux! ;-)

Classificado como segundo Grand Cru Classé em 1855 é um dos mais badalados vinhos de Margaux e pra mim umas das melhores relação preço/qualidade (entre os Grand Cru Classés). Sua história começou há mais de 250 anos, quando o barão de Brane vendeu seus vinhedos em Pauillac para a família Rothschild (os vinhedos são os do atual Mouton-Rothschild), para poder comprar terrenos em Margaux e ali fundar seu próprio Château. Localizados na comuna de Cantenac os vinhedos são plantados com Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Carmenère de idade média de 35 anos.

Como vimos também com o Lynch-Bages, a safra de 2003 não foi particularmente generosa em Bordeaux, com um dos verões mais quentes do século. Mas, com estas vinícolas top não tem erro: mesmo em safras ruins os grandes produtores conseguem fazer grandes vinhos. Em safra boa então...

Devido justamente ás condições climáticas a produção do foi drasticamente reduzida e a vinícola decidiu fazer o corte do seu ícone apenas com 2 das 4 uvas normalmente utilizadas, colhendo a merlot antecipadamente e trazendo a Cabernet Sauvignon gradativamente para manter um equilíbrio geral. O vinho passou por um estágio de 18 meses em carvalho, sendo 60% novo.

O vinho é elegantíssimo como só Margaux sabe, com aromas complexos de amoras, framboesas e cassis, com marcadas notas tostadas, grama molhada e uma leve baunilha. As sensações são repetidas na boca, com a adição de certas especiarias (pimenta especialmente), alcaçuz e café. Apesar do grande corpo, o vinho tem muita finesse no palato e um perfeito equilíbrio geral, com excelente acidez, taninos abundantes e finos e final prolongado. Pronto já agora, deve evoluir para mais uns 15 anos.

Veja aqui também minha resenha do segundo vinho da casa, o Baron de Brane.

Vinho:
Château Brane-Cantenac
Safra:
2003
Produtor:
Château Brane-Cantenac (Henri Lurton)
País:
França
Região:
Bordeaux (Margaux)
Uvas:
65% Cabernet Sauvignon, 35% Merlot
Alcoól (Vol.)
13%
Importadora
Várias
Preço médio
R$ 550
Avaliação internacional
RP91; WS90
Avaliação MV
** (marcante)


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...