segunda-feira, 26 de julho de 2010

Mudanças climáticas: beberemos vinho inglês

Nunca experimentei vinho inglês, não existe nenhum traço nos registros da enógrafia mundial. Mas rumores insistentes falam de vinhos ingleses que superam Champagnes franceses em degustações à cega, ou de tintos delicados lembrando Borgonha, de aquecimento global que está deslocando ao norte o “mundo-vinhedo”.

Inútil olhar a Ilha Britânica com aquele sorrisinho preconceituoso, o futuro do vinho parece estar por ali. O consumo dos ingleses de vinhos nacionais cresceu do 50% somente no último ano, e vale lembrar que a Inglaterra é o primeiro importador de vinho do mundo. Um povo de bebedores entendidos e exigentes. Justo para fazer uns nomes, Jancis Robinson, Oz Clark, Hugh Johnson lhe lembram algo? São entre os mais respeitados críticos e escritores de vinho do planeta. E são britânicos.

Um outro exemplo? O restaurante Calf’s Head de Worston, no noroeste da Inglaterra, se orgulha de ter a carta de vinhos feita somente com vinhos ingleses. Claro que não estamos falando do restaurante de Beaune que vende só vinhos da Borgonha ou de um de Turim que vende só do Piemonte, belo sacrifício! Aqui falamos de uma escolha corajosa feita pelo proprietário Chris Medley depois de ter sido surpreendido pela qualidade encontradas rodando pelos vinhedos na Inglaterra.

Em breve teremos que reescrever o mapa mundial dos produtores de vinho de alto nível com o ingresso de novos Países, como também Canadá, Bélgica, Suécia, e com a perda progressiva da capacidade produtiva das regiões tradicionalmente dedicadas ao cultivo de Vitis Vinifera.

E agora: Lesson 1, listen and repeat: “The wine is on the table”.


6 comentários:

  1. Boa noite, mais uma vez parabéns pelo post, muito bom. Espero em breve experimentar um destes vinhos.
    Saúde!

    ResponderExcluir
  2. No problem, sempre estarei por aqui...rs

    Saúde

    ResponderExcluir
  3. Meu amigo Mario, tenho lido suas matérias e o que mais me chamou a atenção, além dos bons temas, foi a forma descontraída e com um excelente português. Esse estilo gringo fica só no "olhar de gringo" mesmo, a escrita está para um legítimo brasileiro mesmo! Nos vemos nas próximas degustações.
    Rafael.

    ResponderExcluir
  4. Rafael,

    Suas palavras me deixam muito feliz, obrigado mesmo! Eu tento falar de vinho de uma maneira mais descomplicada, pois aqui no Brasil é ainda considerado uma bebida para elites. Temos que mudar este conceito e levar a cultura do vinho para as mesas de todos os brasileiros.
    Valeu, meu amigo. Grande abraço e até logo!

    ResponderExcluir
  5. Mario, jamais tomei - aliás, vou corrigir a frase : jamais VI, sequer, um vinho britânico ... Que ignorância, a minha, não ?!? E você, já provou algu ? Algum rótulo a ser sugerido a este pobre e sedento iniciante ??

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Nivaldo,
    Estamos no mesmo barco: como escrevi no post, eu também nunca provei vinho inglês. Pelo que ando lendo as vinícolas de qualidade são: Bolney Wine Estate, Primrose Hill, ou para os espumantes a Three Choirs e Nyetimber. Mais que isso não sei dizer..!
    Obrigado pela visita.
    Abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...