quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Enólogo: que bicho é esse?

Tem coisas que parecem notórias e subentendidas, mas depois que até uma minha querida amiga me definiu “enólogo” (quem dera) senti a necessidade de explicar ao leitor entry-level qual é mesmo o significado desta palavra.

Começando pela definição de Wikipédia:
Enologia é a ciência que estuda todos os aspectos relativos ao vinho, desde o plantio, escolha do solo, vindima, produção, envelhecimento, engarrafamento e venda.

Ou seja, o enólogo é um profissional que trabalha nas vinícolas e nos vinhedos, responsável pelo vinho em todas as fases produtivas. Uma definição que sempre gostei que distingue o enólogo do enófilo é a seguinte: "Enólogo é o cara que diante do vinho toma decisões, e Enófilo é aquele que, diante das decisões toma vinho" (Luiz Groff).

Parece fácil, mas entre um enólogo e outro existe a mesma diferença que há entre um Reservado da vida e um biodinâmico de Nicolas Joly.
Para complicar, nos últimos anos apareceu também a figura de enólogo consultor, o tal de flying winemaker (figura mitológica metade homem e metade Michel Rolland), que vai além da humana compreensão. A missão destes profissionais é só uma: transformar os teus dez hectares de arbustos e lagartos em garrafas cultuadas, possivelmente com base em Merlot. Mas cuidado, estas pessoas estão mesmo dispostas a qualquer coisa: desde a escolha da variedade da uva até o folder empresarial; não há nenhum campo de conhecimento enológico que não termine sob rígido controle deles. Os melhores conseguem até vendê-lo e pra você só vai sobrar a satisfação de degustar "o fruto do teu trabalho”.
Graças ao deus Baco este tipo de uainmequer é um bem raro, pois custa tanto quanto uma manobra financeira do Banco Central.

No próximo post tem mais: irão descobrir coisas que não gostariam de ler a respeito (matéria chocante e escandalosa)... 

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...