quinta-feira, 14 de outubro de 2010

As 5 novas categorias do vinho


Vagando pela rede (entendo a internet, não aquela pendurada na sua varanda de casa, seu sortudo que tem varanda!) encontrei opiniões bastantes concordes em definir as 5 novas categorias do vinho.

Deixando pra trás as ultrapassadas divisões frutado / amadeirado ou velhomundo / novomundo chegamos a uma conclusão com 5 categorias que redesenham o panorama do vinho, mas não são o Evangelho, então podem acrescentar a vontade.


Para falar a verdade para mim as categorias de vinhos são 2:

1) bom
2) não bom

Simples assim. Mas como hoje tudo tem que ser bem dividido e categorizado, segue a nova bússola para os perdidos nos vinhos deste século (WARNING: os comentários que seguem as definições podem ofender a integridade intelectual de alguns):

Vinho Natural: proveniente de vinhas que têm a menor intervenção possível no processo de cultivo da uva e sua fermentação (orgânicos e biodinâmicos).
Quem tocar o mosto morre! E seja danado até quem usar o hálito pesado para matar insetos na videira. Nenhuma ação é permitida, então todos com os narizes pra cima a monitorar as fases lunares. Tudo muito lindo e saudável. O problema é que a única coisa que evolui é o cheiro de vaca na taça.

Vinho de Terroir: o vinho que vem de vinhas especificas e expressa características únicas de clima e solo da própria geografia.
Ou seja, quando a colina conta. Para os fanáticos do terroir, os terroiristas, quanto menor a micro-zona, mais se está próximos ao nirvana.

Vinho de Grife: o vinho que leva a assinatura do enólogo que o fez.
São vinhos precisos como relógios suíços: dentro da taça tem um pouco de terroir, um pouco de vinhedo e sempre uma pitada de Cabernet Sauvignon que ajusta tudo. O vinho de grife não está nem aí com denominações e aromas não conformes ao original. Tem o nome da empresa que garante. O máximo é quando conseguem vender vinho de mesa para U$ 500. Sorte deles.

Vinho Mistificadoo tipo de vinho (tipicamente tinto) que é muito denso, muito alcoólico e se aprecia melhor sem comida.
Quer dizer que não harmoniza com nada. Este é a Lady Gaga dos vinhos: exagerado, auto-referencial e docinho. Temos muitos exemplares no Novo Mundo. Atrás deles enólogos com graves carências afetivas. Só assim se explica.

Vinho Bebida: uma bebida feita a partir de uvas, com aditivos vários para melhorar sabor e cor.
Aquele vinho que, com todas as trapaceadas, consegue enganar todo mundo. O esquema sempre existiu e sempre existirá. Inútil reclamar, tem que dar graças a Deus para ter causado uma gastrite simples e ter salvado as funções vitais.

E vocês têm outras categorias para adicionar? Tenho certeza que sim, então fiquem a vontade de completar a lista.

4 comentários:

  1. Mario,
    Me permita incluir mais uma categoria nas suas:
    1- bom; 2- não bom; 3- bebível (esse é para quando alguém nos oferece um vinho daqueles que não tem gosto de nada, mas, não podemos fazer desfeita).
    Abs

    ResponderExcluir
  2. Muito bem colocado, Rosane!
    Obrigado!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Caro Mário. Descobri seu blog essa semana, e tenho gostado muito da sua abordagem, da sua maneira de ver e pensar o vinho.
    Eu e três amigos começamos a nos organizar e anotar o que bebíamos há três anos, e passamos a registrar no adegazinha.blogspot.com
    Durante o primeiro ano, por insegurança mesmo, o blog foi restrito. Nossa proposta inicial era idêntica a sua, apenas que utilizáva-mos as expressões "gostei" e "não gostei".
    Nesse meio tempo a única certeza que ficou foi a de que vinho bom é aquele que é nosso amigo, que não necessita de condições. Pode ser tomado a qualquer momento ou acompanhando nosso prato preferido, não importando se foi um chardonnay que que deu bem com o escondidinho de calabreza ou se foi o shiraz que se saiu melhor com o porco agridoce.

    Abraço e saúde!

    ResponderExcluir
  4. Aldo,
    Obrigado pela visita e pelo seu comentário. Fico feliz em ver que gostou da minha abordagem e em saber que tem pessoas que pensam da mesma forma: aqui no Brasil o vinho é ainda considerado como um luxo para elites; eu tento descomplicar um pouco trazendo noticias e avaliações sérias, mas de forma descontraída.
    Visitei o seu blog e achei bem bacana. Vou acompanhar.
    Obrigado, um grande abraço e boas taças!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...