sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O vinho que pula

Este é um belo australiano de umas das mais tradicionais casas da terra dos cangurus: d’Aremberg, do McLaren Vale, no sul do País. A nota curiosa sobre a vinícola é que o fundador era um abstêmio!

A linha Stump Jump é a entry level da vinícola, mas que consegue dar um idéia do estilo elegante da casa. O nome é uma homenagem a uma invenção do sul da Austrália, um especial arado capaz de passar (pular) por cima das raízes o que faz otimizar tempo e energias. Não tem jeito: se não for canguru algo tem que pular...

Este “salta raízes” é um corte típico do Rhone, no sul da França: Grenache, Shiraz e Mourvèdre. È um vinho jovem, para o consumo imediato (o produtor o indica para o consumo do dia a dia, mas aqui no Brasil os quase 70 R$ o tornam o dia a dia de poucos...).

A minha garrafa precisou de uma boa arejada, pois estava com aromas fechados e bastante adstringência; depois melhorou muito, tornando-se bem macio e perfumado. Fruta silvestre e especiarias. O estágio em carvalho lhe doa uma discreta estrutura e complexidade.

Já pegou 89 pontos pelo Parker.

Voto gringo: 6 ½

P.S: o Shiraz (varietal) da mesma linha Stump Jump entrou na top 100 list de 2009 da Wine Spectator no lugar de n. 82, com 90 pontos.
                




Vinho: Stump Jump Red
Safra: 2007
Produtor: d'Aremberg
País: Austrália
Região: McLaren Vale
Uvas: 50% Grenache, 26% Shiraz, 24% Mourvèdre
Teor Alcoólico: 14%
Importadora: Zahil
Custo médio: R$ 66,00

Um comentário:

  1. Bastante interessante a história em torno deste vinho. Imagino que deve ser muito bom. Parabéns!

    Saúde!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...