segunda-feira, 1 de abril de 2013

Parker X Galloni - a briga tá feia!


Já vimos aqui os últimos acontecimentos em casa Wine Advocate. Resumindo brevemente em 3 pontos (e links) para quem perdeu os episódios anteriores:

1) O crítico ítalo-americano Antonio Galloni era considerado o pupilo do Robert Parker e seu direto sucessor (aqui).
2) O Parker surpreendeu todo mundo vendendo a Wine Advocate para uns investidores de Cingapura e deixa a direção da publicação para a Lisa Perrotti-Brown, correspondente da WA da Ásia (aqui aqui) 
3) O Galloni decide então sair, pedindo demissão da WA e criando seu próprio site (aqui

No 4° e novo capítulo da novela, o Robert Parker abriu um processo contra o Galloni para inadimplência, fraude e difamação! Aí descobrimos que o advogado do vinho tinha encomendado para o crítico ítalo-americano uma matéria sobre Sonoma e outros vinhos da Califórnia que não foi entregue. O Galloni se justificou afirmando que o prazo para a entrega não tinha sido combinado inicialmente (o Parker o teria estabelecido depois retroativamente) e que, de qualquer forma, ele precisaria de mais tempo para dar jus aos vinhos da região. Finalmente o Galloni, depois das demissões, para amenizar os rancores se ofereceu em publicar a matéria da discórdia no próprio site, deixando a leitura livre e for free para os assinantes da Wine Advocate, coisa que, obviamente, aquele tubarão do Parker nem cogitou em aceitar. O Galloni ainda reforçou - em entrevista ao New York Times - sobre a cessão da WA, avisando que a independência da revista seria prejudicada, pois o novo dono Soo Hoo Khoon Peng ainda teria forte ligação com a Hermitage, importadora de grandes rótulos e outros produtos financeiros com base em vinho, e portanto diretamente interessada em altas notas da Wine Advocate.

Vamos tirar umas conclusões:

- O Bobby iludiu e depois traiu o coitado: eu não digo sempre que não podemos confiar no Parker? Ehehehe.
- A reação do Galloni, condenável do lado ético-profissional, é compreensível do lado humano (e econômico).
- Não sei quanto ao prazo de entrega, de qualquer forma o Galloni tem toda minha compreensão, pois eu demoro bastante para terminar um humilde post aqui, imagine escrever uma ampla matéria na mais prestigiada publicação de vinhos do mundo.
- Falem mal do Parker, mas o cara é muito generoso: ele pagava para o Galloni um salário anual de U$ 300.000 (25mil dólares por mês!). Valor impensável em qualquer outro lugar. Queridos, está na hora de começar a me contratar: eu aceito escrever para vocês por muito menos! J
- Mas a mais importante lição que aprendemos desta história é a seguinte: não fique surpreso em acabar em tribunais se seu empregador se chama The Wine Advocate.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Caro Julio Cesar,
      Quer dizer como se tornar um Mater of Wine? No caso tem que completar os 4 níveis de curso da WSET (existe em muitos Países do mundo) e depois passar para o Instituto dos MOV. A prova final é dificílima. Mais infos aqui: http://www.mastersofwine.org/
      Obrigado pela visita e boa sorte

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...