quinta-feira, 22 de novembro de 2012

A história de um dos grandes vinhos do mundo quando era pequeno


A última edição da revista Bibenda, da Associação Italiana Sommelier, reporta uma entrevista inédita feita em 1978 ao enólogo Max Shubert, criador de um dos mais cultuados vinhos do planeta, o Pendfolds Grange, marco na história da viticultura australiana.
Interessante relevar que quando foi lançado, na década de 1950, este vinho, que se chamava Grange Hermitage para lembrar o estilo dos grandes tintos do Rhone, nem foi levado em consideração. Não somente foi criticado, mas até foi considerado perigoso pela mesma Pendfolds como um potencial dano para a imagem da vinícola.
Naquela época na Austrália os vinhos em estilo Grange não existiam, pois não era previsto o conceito de vinhos para guardar ao longo dos anos: o vinho era produzido para consumo imediato ou, em alternativa, fortificado. De acordo com o Max Shubert os vinhos daqueles anos eram péssimos porque produzidos com métodos errados e sem considerar as características das diferentes safras.

O Grange foi uma revolução em matéria de estilo e técnicas produtivas. O propósito do Shubert era criar um vinho comparável aos grandes vinhos franceses, sobretudo em termos de longevidade. Ele mesmo conta da própria incredulidade quando convidado pela primeira vez em Boredaux degustou vinhos sensacionais de mais de 40 anos de idade.

Então o enólogo começou uma pesquisa minuciosa, inspecionado vinhedos australianos para achar a uva perfeita sob o perfil da maturação, coisa que desde o início foi um dos pontos fortes do Grange.
A primeira vinha foi a de Morphett Vale, logo na entrada da região de McLaren Vale. A shiraz deste vinhedo foi cortada com o da parcela de Magill, sede da casa, senão teria sido classificado logo como “cru”. Sucessivamente foram usadas uvas procedentes de outras áreas, como Kalimna in Barossa Valley, ainda hoje principal mina para o Grange.
As barricas utilizadas inicialmente eram de carvalho americano, segundo o Shubert mais apropriado para manter força e fruta do vinho.
Na época o enólogo foi denegrido pelas suas escolhas e foi preciso de 10 anos desde a primeira safra para começar a reverter as críticas em elogios.
Hoje em dia o Pendfolds Grange é o verdadeiro ícone australiano, capaz de rivalizar em classe, elegância e longevidade com os grandes vinhos do mundo.





0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...