quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Bolso nem tanto esperto (claro, é Borgonha!)

O primeiro vinho comentado aqui em 2012 foi um BolsoEsperto, mas não foi o meu primeiro vinho do ano (o tomei no dia 30 de dezembro de 2011); já o primeiro vinho tomado em 2012 não entra nem de longe nesta categoria, infelizmente.

Um belo Borgonha, mas mais uma vez tive a confirmação que os franceses sabem vender o próprio vinho melhor que qualquer outro, sendo que em geral o preço cobrado é bem acima de rótulos da mesma qualidade de outros Países.

Prefácio: sei que Pinot Noir é uma uva difícil de ser trabalhada, o que a torna mais cara, e sei também que abri o vinho em plena juventude e que mais tempo de garrafa teria proporcionado benefícios maiores. Mesmo assim...

Mas vamos por degraus.
Frédéric Magnien, jovem produtor, nascido e criado na Borgonha em família de vinhateiros foi estudar e trabalhar em vinhedos da Califórnia e Austrália (??? Já isto deveria ter sido um sinal, né?). Voltando para Borgonha inaugura sua própria vinícola em 1995, e embora recente, seus vinhos já são muito bem comentados.

Curioso, quis experimentar este Chambolle-Musigny (uma das denominações mais elegantes) Premier Cru Les Charmes 2008, de vinhas antigas.
Obviamente o decantei por cerca de 1 hora e quanto mais tempo oxigenando tanto mais o vinho ganhava complexidade aromática e gustativa. Nariz delicado de cereja, hortelã e terra molhada. Ataque muuuuito elegante e equilibrado: textura leve, taninos finíssimos e saborosos. Final modernista frutado, de médio para longo.

Enfim, certamente um ótimo vinho (seria estranho o contrário!), simplesmente pra mim não vale os R$300 cobrados por aqui.

Voto gringo: 8

Vinho: Chambolle-Musigny 1er Cru Les Charmes 2008
Safra: 2008
Produtor: Frédéric Magnien
País: França
Região: Borgonha
Uvas: 100% Pinot Noir
Teor Alcoólico: 13%
Importadora: Cellar
Custo médio: R$ 300,00

2 comentários:

  1. Mas nem todo Borgonha eh isso tudo. Aqui na Suica os precos sao mais razoaveis, entao minha primeira compra (me mudei semana passada) qual foi? Um Borgonha, Savigny-Les-Beaune, do produtor/comerciante Albert Bichot, safra 2008. Que decepcao. Corpo super fraco, quase aguado, perfumes quase inexistentes (mesmo depois de no final deixar uma taca quase 1hr para ver se desenvolvia algo). Acidez ate que tinha um pouquinho, mas foi um vinho para esquecer. Vou ter de tentar de novo.

    ResponderExcluir
  2. Robert,
    Obrigado por visitar e comentar.
    Temos que dizer que, de modo geral, a Borgonha faz um estilo de vinho diferente do que o consumidor brasileiro está acostumado a tomar: cor clarinha e corpo leve, elegante, e, normalmente, com boa complexidade. Mas, como você disse, nem tudo Borgonha é coisa boa.
    Agora, apesar de Savigny-lès-Beaune não ser uma das denominações mais famosas, o Bichot é um produtor renomeado, e seu vinho deveria ter sido melhor, uma pena.
    Continue experimentado (aproveite dos preços!) e fique à vontade em comentar as suas experiências por aqui.
    Um abraço e boa sorte!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...