quinta-feira, 19 de abril de 2012

Concurso “Qultural” MondoVinho: ganhe uma garrafa de tinto!


Cultural com “Q”, pois de cultural tem bem pouco. Como prometido, em ocasião do 2° aniversário do blog MondoVinho vou enviar gratuitamente uma garrafa de vinho a um de vocês, para agradecer seu carinho e amizade. E a boa noticia é que a garrafa vai ser cheia!
Como não tenho patrocinadores (aliás: PATROCINADORES, CADÊ VOCES?) o vinho em questão provém diretamente da minha adega particular (esse não seria um valor agregado?).
Trata-se de um Chateau Los Boldos Syrah Grand Reserve 2008. Procedente de vinhedos do Alto Cachapoal é um syrah rico e exuberante, que vai agradar todos os paladares (preço médio de venda: R$55,00).

Depois de ter avaliado vários métodos de atribuição do prêmio de uma forma mais cientifica, resolvi abandonar a ciência e simplificar tudo, seguindo o estilo descomplicado do blog.
Pois bem, vai ganhar a garrafa quem escrever aqui o comentário mais original/criativo/interessante/divertido/filosófico/ poético/engraçado/culto/etc. Veja você, o tema é livre, mas, obviamente, sobre uva fermentada. Pode ser algo tipo: por que você merece ganhar esta garrafa, ou sobre o mundo do vinho em geral, ou por que não sobre o MondoVinho (mas não precisa puxar o saco, tá?!).

A frase mais legal será selecionada por um júri insindicável, inquestionável e imune a críticas formado por mim mesmo, entre todos os comentários que chegarão até a meia-noite (horário de Brasília) do dia 29 de Abril p.v. Ou seja, tem 10 dias para libertar sua criatividade. O ganhador será sucessivamente contatado para fornecer o endereço de entrega.
O MondoVinho faz aniversário, mas quem ganha é você! 


P.S. sei que tenho muitos leitores que acompanham o blog do exterior e peço desculpa para eles, mas desta vez o concurso é válido, para óbvios motivos, somente para residentes em território brasileiro.

16 comentários:

  1. Vai aí a minha frase:
    "O mundo virtual sem o MondoVinho estaria mais para MondoCane."
    abs
    Paulo Sales - Salvador-BA

    ResponderExcluir
  2. Minha mãe não deixava eu tomar vinho quando eu era moleque de meus 13 anos. Falava que aquilo era de adulto.

    Um dia resolvi durante a noite abrir e tomar uns goles daquela garrafa azul (sim, era um Liebfraumilch; sim, comecei de baixo).

    No segundo gole daquela coisa boa (sim, pra aquele gosto que eu tinha, era bom) ouço uma voz:
    - Bonito, né, Sr. Marcelo?

    Minha mãe era adepta do método havaiano de educação: O chinelo Havaianas do meu pai tava na mão dela. Vendo o que me aguardava, dei mais um gole e respondi:

    -Tão bonito que estou fazendo.

    ResponderExcluir
  3. Oração (do vinho) para Santo Expedito!!!

    Querido Baco, leve os cumprimentos ao Expedito pelo seu dia, sei que a sua cobertura no Brasil ainda é recente, mas estamos precisando de ajuda por aqui.

    Os discipulos de Baco andam em pé de guerra. É uma salvaguarda daqui, um boicote de lá... considerando uma causa urgente e (quase) impossível peça uma ajuda ao santo para que as pessoas tenham uma visão de longo prazo e se unam em torno do que interessa: o vinho!!!

    Ass.

    Um devoto fiel!!!

    -----------
    Cheers!!!

    Denys Roman
    www.facebook.com/denys.roman

    ResponderExcluir
  4. (primeira parte)
    Foi algo que aconteceu na minha juventude, e que teve um significado especial mais tarde, pois foi a primeira lembrança boa com a minha primeira ex que consegui recuperar, a ponto de colocá-la no papel. Durante um bom tempo, após a separação, eu não conseguia rememorar as coisas boas, a tal ponto as ruins atrapalhavam o acesso.

    Você manja de Visconde de Mauá? Eu adoro comida, e gosto de sentir todos os prazeres que a comida pode dar. O prazer do paladar, do olfato, da visão, em alguns casos até do tato (pois há comidas que só podemos comer com as mãos, se quisermos sentir todo o seu sabor). Gosto do congraçamento entre amigos em volta de uma boa mesa, da evolução da sensibilidade pela descoberta de novas sensações, do melhor conhecimento de povos e culturas pela porta de sua culinária, pela descoberta da alquimia dos alimentos e temperos, das combinações que potencializam a percepção dos sabores. Isto não quer dizer necessariamente pompa e circunstância. Ou passar por idiota emagrecendo a carteira em troca de uma refeição com mais cerâmica e pretensão do que comida e sabor. Uma das refeições mais memoráveis que fiz foi extremamente simples: pão, manteiga e vinho! Mas, foi tão maravilhosa que a consigo relembrar em todos os detalhes, mesmo já passados muitos anos.

    Na primeira vez que fui a Visconde de Mauá, quando lá não havia sequer posto de gasolina, apenas uma bomba de manivela ao lado da cooperativa de leite, não tinha a mínima idéia do que iria encontrar. Fui com minha namorada e outro casal amigo. Éramos muito jovens, e estávamos clandestinos. As mães das meninas não sabiam que as coitadinhas estavam sozinhas com os namorados - teoricamente todos estavam em um grande grupo, na fazenda da avó da fulaninha, onde, em grandes quartos, meninos dormiriam com meninos e meninas com meninas. Como todos os jovens, fizemos uma grande besteira. Era um feriadão de Semana Santa, e os bobinhos esqueceram de fazer reserva em algum hotel. A única precaução foi confiscar doze garrafas de vinho francês na despensa de meu pai. Um amigo que já tinha estado em Mauá me avisara que a bebida, e tudo o que não fosse de produção local, lá era muito caro. (continua)

    ResponderExcluir
  5. (continuação)
    Chegamos, depois de uma penosa subida em uma estrada de terra, em condições precárias e com muita neblina, e começamos a procurar um hotel. Que furada! Todos estavam lotados! E agora? Não podíamos voltar, pois não estávamos oficialmente ali, e sim na fazenda da avó da fulaninha, que sequer existia! Ao desespero da falta de abrigo começou a se somar o desconforto da fome. Não percebemos que este seria um problema sério também. Estávamos com as carteiras recheadas, pelo menos isso. Comeríamos em qualquer restaurante de hotel. Não sabíamos ainda que, por uma esdrúxula e monolítica regra da época, os hotéis só serviam aos hóspedes. Visitante só após o último hóspede ter se servido, e se algo sobrasse. As nossas patricinhas começaram a ter faniquito. Sem teto, sem banheiro com bidê e sem comida, era demais! Os jovens machos estavam quase apanhando, quando uma funcionária de um dos hotéis se aproximou, e nos trouxe metade da solução de nossos problemas. Uma amiga da mulher tinha construído dois novos quartos em seu rancho, e estava endividada com o depósito de materiais de construção. Para saldar sua dívida ela estaria alugando os dois quartos, mas era pensão a seco!

    Fizemos um mapinha, pedimos um crédito às patricinhas, e fomos direto para o tal rancho. Que maravilha! Era tudo novinho e asseado! Coisa de pobre de primeiro mundo (descendentes de finlandeses). Sem luxo, mas perfeito. Após um reconfortante banho nossas patricinhas já tinham recuperado o humor. Estavam lindas! Saímos para conferir a dica fornecida pela finlandezinha dona do rancho: o Bar do Bule, onde havia um PF, a única alternativa para quem não estava em um hotel. Chegamos ao Bar do Bule, uma espécie de celeiro de madeira. Entramos, e fomos, respirando com cuidado, atravessando uma densa nuvem de fumaça de baseado, até chegar a um balcão, onde um garçom com olhos chapados, como todos os clientes (que bebiam caipirinha de Steinhäger, o drink padrão), nos atendeu. Fui logo dizendo que queríamos quatro PFs no capricho. Tudo bem..., disse o garçom, puxando uma prancheta de debaixo do balcão, e nos perguntando nossos nomes para fazer a reserva. Reserva? Sim... PF só com reserva e no dia seguinte... Meu chapa estamos famintos, o que podemos comer? Misto Quente... Manda oito então! Mas o misto quente acabou... Bom, meu amigo sinta o drama, o que ainda existe para comer? Só pão de forma e manteiga... Pensei logo em um Plus-Vita com Claybom da vida, mas, paciência. Fome é diferente de apetite.

    Quando o garçom nos trouxe o pão e a manteiga, que grata surpresa! Era um pão feito em forno de lenha tão cheiroso, e a manteiga era uma manteiga caseira tão apetitosa! Pegamos nossas compras e voltamos para o rancho. Jamais vou esquecer ou renegar aquela noite! Mesmo tendo feito a besteira de casar com a minha patricinha, ótima na cama, mas que, por magia do tempo, se transformou mais tarde em uma bruxa malvada, para a qual pago pensão até hoje! Como foram maravilhosos o pão, a manteiga e o vinho!

    ResponderExcluir
  6. Nas grandes comemorações o espumante, nos momentos descontraídos com doses de intelectualidade temos uma infinidade de tintos e brancos à nossa disposição. Considerado o alimento mais líquido que existe atualmente, esta fantástica explosão cultural presente em taças inspiradas na fonte do alimento mais puro do mundo, o seio materno, nos permite viajar pelo mundo onde as únicas turbulências serão o balançar das taças e o brinde à vida, única viagem sem riscos aos que se aventuram, capaz de extender a vida. O MondoVinho representado pelo nobre amigo Mario, um amigo de todas as horas e que nos faz rir e refletir em todos os momentos. Um jovem de dois anos que já nos ensina tantas coisas dos mais novos aos mais experientes, abençoado com uma família de enófilos tão grande, este podemos dizer que é a criança que realmente nasceu em berço de ouro regado pelos mais belos vinhos!

    Um grande parabéns ao MondoVinho e que vida seja longa!

    ResponderExcluir
  7. Parabéns e tim tim !!!
    Aqui a frase :
    "MondiVinum, MondoVino, MondoVinho, a evolução na arte do Vinho !!!"
    Abraços !!!
    Paulo Parazzi

    ResponderExcluir
  8. A poesia da uva fermentada, engarrafada e delicadamente degustada!
    Karina Zilio

    ResponderExcluir
  9. "Eu querendo abrir Los Boldos e os patrocinadores nao querendo abrir Los Bolsos..."

    ResponderExcluir
  10. O vinho alegra o coração do homem, e faz carinho na alma. Para vinho ter gosto de vinho, deve ser tomado com um amigo...E o MondoVinho e aquele amigo que chega com as melhores garrafas para o melhores momentos! Um Brinde ao MondoVinho


    Luciana Falcão
    luciana.andradefalcao@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  11. Feliz aniversário de dois aninhos ao blog Mondo Vinho! E aqui vai minha frase:

    "Eu, já na casa dos trinta, aprendi a tomar gosto por vinhos com você, em contrapartida te ensinei jogar xadrez, você já beirando os cinquenta, e hoje, num processo eterno de separação conjugal, sempre terminamos às gargalhadas, entre cálices sujos de vinho-sangue, após partidas sérias – mas ambos já percebemos: nosso vinho é único e eterno."

    Gentileza desconsiderar a primeira frase quase igual a essa que não tenho certeza se consegui mandar. De qualquer forma acabei dando uma reformulada. Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Mondivinho completou dois anos causando muito furor
    Tanto é que agora vai presentear com um belo Chateau
    O blog dá dicas, debate temas e tem até o bolso esperto
    Seu escritor demonstra ser pessoa de mente e gosto aberto

    O mundo do vinho é algo fascinante
    Sempre me pergunto: por que não descobri isso antes?
    É que sabe, a vida é como o vinho e tudo tem seu momento
    Há vinhos que se bebem frescos, outros precisam de mais tempo

    Que nossas vidas sejam longevas como um boudeaux
    Alegres como um beaujolais nouveau
    Inovadoras e arrojadas como um supertoscano
    E que possamos, com responsabilidade, beber muitas garrafas ano após ano

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde seguidores Mondovinho, venho com o comentário que li recentemente e achei muito bacana...

    Os homens são como um bom vinho. Todos começam como uvas, e é dever da mulher pisotear - los e mantê - los no escuro até que amadureçam e se torne uma boa companhia pro jantar.

    Infelizmente não tenho a referencia bibliográfica, mais o que vale e a intenção.


    Meus parabéns Mario pelo este excelente trabalho realizado durante estes 02 anos de vida do “nosso” blog... Vida longa ao mondovinho (e ao seu idealizador...)

    Ass. Dimas Moreira

    ResponderExcluir
  14. Beber um bom vinho é muito bom.
    Um vinho ganhado então, melhor ainda.
    Mas beber um bom vinho ganhado numa promoção, não tem preço ! ;-)

    Ja vou preparar uma sopa bem cremosa pra tomar com esse Syrah!!

    OBS: Otimo blog, otimas reportagens
    (nao tou puxando o saco nao, é só um elogio verdadeiro!)
    abraços

    ResponderExcluir
  15. Um evento para o qual eu levaria uma garrafa de Beaujolais foi transferido para a próxima semana.

    Fiquei triste porque estou curiosíssima para saber o que esse vinho tem a me dizer ... =/

    É como se o meu Beaujolais Moulin-à-Vent me dissesse: Hoje eu Nouveau!

    kkkkkkk(já ganhei, já ganhei, já ganhei... ) \o/ uhuuuulll

    Monica Alves - RJ

    ResponderExcluir
  16. Acróstico das Uvas

    Malbec
    tOrrontes
    Nebbiolo
    charDonnay
    merlOt
    antãoVaz
    pInot Noir
    triNcadeira
    syraH
    tempranillO

    Por Ewertom Cordeiro
    [Vinhos de Minha Vida]

    Parabéns ao Mondo Vinho pelo seu segundo aniversário!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...