quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Champagne para Leigos: as siglas

Época de Natal e fim de ano automaticamente remete a Champagne, pois não existe momento mais propício para presentear (a si mesmo ou a outros) com uma bela garrafa de borbulhas francesas. Mas se orientar entre as siglas dos rótulos de Champagne nem sempre é tarefa simples, porém fundamental para entender a grande complexidade atrás desta magnífica região de 300 milhões de exemplares (quase todos prestigiados) que a cada ano invadem as prateleiras do mundo.

Primeiramente, se você ainda não leio, de uma olhada neste post "20 coisas para o cervejeiro saber sobre Champagne" para entender as dinâmicas e os princípios básicos da denominação.

Dito isto, tenha em mente que falamos de uma região onde 90% dos vinhedos são cultivados por 27mil vigneron, sendo 13mil fornecedores de uva a terceiros e 4.500 sendo também produtores; ainda tem as cooperativas, compostas por quase 14mil viticultores. Os cerca de 3500 hectares que faltam são divididos entre 350 entidades, grandes maisons e negociants, que de qualquer forma sozinhos detêm 75% do mercado. Um belo quebra-cabeça!

Para esclarecer um pouco a intricada questão, a legislação atribuiu para cada produtor uma sigla que qualifica o trabalho e o tipo de produção: umas iniciais impressas no rótulo ou no contra-rótulo, algo similar a escrita “engarrafado na propriedade” que encontramos nos tradicionais rótulos ou rolhas de vinho tranqüilo.

Garanto que não é tarefa fácil, mas para facilitar sua vida na hora de escolher um Champagne para suas compras de Natal o MondoVinho mais uma vez vem em seu socorro, com este prático guia. Ou vai querer pagar mico igual os supostos “entendidos” que doam uma garrafa de Champagne de supermercado passando-a como uma pérola numerada de um pequeno produtor artesanal que encontrou na França? Vamos lá.



NM: Négociant Manipulant. Produtor individual ou empresa que compra as uvas, o mosto ou o vinho para produzir Champagne na própria vinícola e comercializa-lo com o próprio rótulo. Todas as grandes maison pertencem a esta categoria, como as do grupo LVMH, Pommey, Piper Heidsieck, Lanson. Lembre-se: em Champagne se fazem grandes produtos também apenas comprando as uvas (basta procurar e pagar bem) e nem todos os produtores tem a mesma percentagem entre uvas própria e uvas compradas. Por exemplo, Louis Roederer produz com 70% de uvas proprías, já Moet et Chandon, Pommery e Lanson, com muito menos.

RM: Récoltant Manipulant. Viticultor que produz e comercializa Champagne com o próprio rótulo a partir de uvas procedentes exclusivamente de vinhedos próprios e elaboradas na própria vinícola. Fenômeno comercial relativamente recente são hoje os preferidos pela crítica moderna e alternativa. Ao contrário do que se pensa, em Champagne a maioria dos hectares pertence justamente aos cultivadores, que porém só em poucos casos tem força econômica e comercial para vinificar e engarrafar autonomamente. Quando eles conseguem podemos encontrar pequenas obras primas, sinceras expressões do terroir. Mas também podemos encontrar vinhos não perfeitos. Alguns nomes: Selosse, Fallet Prevostat, Gaston Chichet, Georges Laval. Muitos apresentam no rótulo a marca “Les Champagnes de Vignerons” 
  
CM: Coopérative de Manipulation. Cooperativa vinícola que comercializa Champagne elaborado em vinícolas cooperativas com as uvas dos associados. Neste caso as CM podem contar com milhares de hectares e associados. Bom exemplos que conjugam qualidade e quantidade: Paul Goerg, Beaumont de Crayères, Union Auboise.

RC: Récoltant-Coopérateur: O ponto de partida é o mesmo do anterior, mas no caso, o Récoltant-Coopérateur recupera a parte de Champagne que a cooperativa produziu e engarrafou para ele e o comercializa com a própria marca. Um exemplo é a cooperativa Mailly Grand Cru: dentro dela trabalham 4 récoltant-coopérateur que engarrafam com o proprio nome 22mil das 500mil garrafas produzidas por Mailly.

SR: Société de Récoltants: é como uma CM, mas neste casos os associados pertencem a uma mesma família.

ND: Négociant Distributeur. Distribuidor que compra Champagne já engarrafado e o rótula e comercializa com a própria marca. Obviamente, nenhum grande nome aceita este tipo de negócio.

MA: Marque Auxiliaire (ou marque d’acheteur). Parecido com o esquema anterior mais em maior escala. Trata-se de Champagne produzido por vários produtores, mas comercializado com uma marca que não pertence a nenhum deles, por exemplo, a de uma grande rede de supermercados. É a tipologia mais comercial, apesar de oferecer às vezes umas boas barganhas em termos de qualidade/preço.

AP: Acheteur Parfaite. Comprador Perfeito. Este é você agora, depois de ter lido esta matéria. ;-) Espero ter ajudado, boas compras!







0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...