sexta-feira, 1 de junho de 2012

Um almoço com Luis Duarte

Nestas últimas semanas tive o privilegio de ser convidado a vários eventos e degustações: o calendário aqui no Rio está bem corrido, e ainda não tive tempo de postar algo a respeito (em alguns casos participei de mais de um evento por dia - e infelizmente tive que abrir mão de outros). Mas vamos tentar recuperar o atraso.
No dia 24/05 a convite da competente e simpática Andréa Fantoni da agência de comunicação Rede Interação participei de um almoço harmonizado com o renomeado enólogo Luis Duarte, um dos mais premiados winemakers de Portugal (várias vezes eleito melhor enólogo do Pais, por 18 anos comandando os trabalhos da Herdade do Esporão e outras grandes vinícolas). Ele veio apresentar uns vinhos de produção própria, mais alguns elaborados por ele para a vinícola Herdade dos Grous. Todos procedentes do Alentejo, de vinhedos orgânicos e produção sustentável. 

O evento aconteceu no requintado restaurante Vieira Souto de Ipanema exclusivamente para um seleto grupo de profissionais do mundo da eno-gastronomia carioca; e com muito orgulho compartilhei a mesa com esta elite e com o próprio Luis Duarte.

O cardápio foi um show (veja foto abaixo) e os vinhos idem. Vou aqui focar a atenção somente no “aspecto líquido”, mas vale ressaltar que a comida estava sensacional.

Degustamos 7 vinhos, todos de safra 2009.
Começamos com o Rapariga da Quinta Branco: elaborado com as uvas Antão Vaz e Arinto, é um branco jovem e despretensioso, mas muito interessante, com notas de pão e amêndoas, na boca muito fresco e gostoso.

O branco seguinte, o Rubrica Branco é um corte de Viognier, Antão Vaz e Verdelho, com parcial estágio em madeira: aromas de fruta tropical, manteiga e queijo derretido, com muito equilíbrio e boa persistência na boca.

O primeiro tinto, o Rapariga da Quinta Tinto é um corte de Aragonês, Trincadeira e Touriga Nacional com 6 meses de passagem em madeira: vinho exuberante e bastante frutado, mas sem perder o equilíbrio.

O Rapariga da Quinta Reserva é elaborado com mesmo corte, mas com uma maceração mais longa e o dobro de estágios em madeira (12 meses): mais complexo que o precedente, além da fruta madura mostrou notas de torrefação e alcaçuz, muita elegância na boca, com taninos domados e boa acidez.

Seguimos com o Herdade dos Grous Tinto, feito a partir de Aragonês, Alicante, Touriga Nacional e Syrah com breve passagem em madeira. Notas florais e apimentadas e boa presença de boca.

Continuamos com o Rubrica Tinto: Alicante, Touriga Nacional, Syrah, Aragonês e Petit Verdot maturado por 9 meses em carvalho. Este assemblage dá ao vinho uma interessante complexidade de fruta silvestre, hortelã e toques de especiarias.

O astro do dia foi o Moon Harvest: a palavra “astro” nunca foi mais apropriada, pois o nome do rótulo remete ao cultivo biodinâmico pelo qual a colheita é feita no ciclo de maior influência da Lua, fato que supostamente daria às plantas o máximo de substâncias nutritivas. Verdade ou não (não entro aqui nas questões biodinâmicas, quem quiser aprofundar clique aquio vinho é espetacular: Alicante Bouschet em pureza, mostrou várias camadas de aromas (cassis, ameixa, alcaçuz, tabaco, café); na boca uma textura aveludada e grande volume, taninos macios, perfeita acidez e longo final.
Enfim, todos vinhos excelentes (todos com notas acima de 91 pela revista Wine Enthusiast), com características próprias e tipicidade alentejana. Obviamente, como sempre, cada um tem o seu momento (e o seu prato), de qualquer forma eu destacaria o Moon Harvest, pela complexidade e os dois Rapariga da Quinta “básicos” (o branco e o tinto) para mostrar uma diferenciada personalidade própria.

Os vinhos são importados pela Epice


 Licinio, da importadora Epice  e o  enólogo  Luis Duarte









Palestra

Na minha mesa só feras (menos eu, é claro!): os jornalistas Marcelo Copello, Alexandre Lalas, Bruno Agostini e Reinaldo Paes Barreto, mais o  enólogo Luis Duarte e o presidente da ABS-Rio Ricardo Farias 







De outra perspectiva











A organizadora do evento Andréa Fantoni e o maitre-sommelier da casa João Souza










O enologo / produtor Luis Duarte e eu

O menu especial do dia
















A vista da varanda do restaurante

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...