segunda-feira, 9 de maio de 2011

11 coisas que você deve saber sobre vinho chileno

Atendendo a pedidos: o leitor (meu chará) Mario de Fortaleza, pediu um tópico geral sobre vinhos chilenos e como aqui quem manda é você (nos limites do possível) não vou desapontá-lo, sobretudo tratando-se de um dos leitores mais antigos e fiéis do MondoVinho.

Agora, como não foi pedido nada específico (um rótulo, uma uva, uma região) a matéria seria infinita, pois são muitíssimas as coisas para se falar a respeito da viticultura chilena. Então vou resumir os fatos pra mim mais interessantes em 10 pontos principais. Aliás 11, vocês conhecem o meu anti-conformismo...

1)   O Chile é o 8° maior produtor mundial de vinhos e o 5° maior exportador.
2)   No Brasil o vinho chileno é 1° em matéria de importação e vendas.
3)   Apesar de ser associada ao Chile, a Carménère não é uma uva chilena: ela é de origem francesa, da região de Medoc (Bordeaux) onde se extinguiu por efeito da filoxera, praga que destruiu quase todos os vinhedos da Europa na década de 1860. Foi redescoberta por um acaso por um enólogo francês em 1994. Até então achava-se que se tratasse de Merlot.
4)  Apesar da Carménère ser hoje característica quase exclusiva do Chile, a uva emblemática do País continua sendo a Cabernet Sauvignon, a mais plantada, de mais antigo cultivo e conhecimento.
5)  O Chile é um dos raros Países do Mundo que até agora não conheceu a praga da filoxera. Não se sabe bem o porquê: talvez o clima e as barreiras naturais dos Andes de um lado e do Oceano Pacífico do outro, ajam como proteção. Fato é que os vinhedos não precisam de enxertia.
6)  No Chile não existe uma verdadeira legislação sobre classificações e denominações de origem. O sistema, introduzido em 1995, apenas delimita quatro principais regiões (e suas respectivas sub-regiões), sem restrições de castas ou de praticas /técnicas vinícolas. A única pequena limitação prevê que vinhos monovarietais devam ter a percentagem mínima de 75% da uva indicada no rótulo.
7)   Da mesma forma não existe uma regulamentação sobre as designações “Reserva” ou “Gran Reserva”. A designação “Reservado” não significa absolutamente nada. O nome é uma simples jogada de marketing para dar mais valor a vinhos de baixa qualidade.
8)  Eis as quatro principais regiões e suas respectivas sub-regiões definidas pelo sistema de denominação: Coquimbo (Alqui, Limari e Choapa), Aconcagua (Aconcagua, Casablanca, San Antonio, Leyda e La Barca), Vale Central (Maipo, Rapel (Cachapoal e Colchagua), Curicó e Maule) e Região Sul (Itata, Bio-Bio e Malleco)
9)   A proporção de uvas plantadas no país é de 75% tinta, 25% branca. Mesmo assim produz ótimos brancos (sobretudo no Vale de Casablanca)
10)   Além das duas uvas rainhas já citadas, tem uma grande variedade de castas cultivadas: Merlot, Pinot noir, Syrah, Petit Sirah, Cabernet franc, Malbec Sangiovese, Barbera, Zinfandel e Carignan entre os tintos. Já as castas brancas incluem Chardonnay, Sauvignon blanc, Sauvignon vert, Sémillon, Riesling, Viognier,Torontel, Pedro Ximénez, Gewürztraminer Muscat de Alejandría.
11)  Em uma histórica degustação às cegas de 2004 em Berlin, os primeiros dois classificados foram vinhos chilenos, ficando à frente de Premieres Grand Crus Classé de Bordeaux e de grandes Supertoscanos. Foi a consagração da viticultura chilena no mundo.


6 comentários:

  1. Mario.

    Bravo. Belo post sobre o Chile. Bem ao estilo que gosto. Informação concentrada, rápido e fácil de ler. Quem quiser que amplie cada tópico.

    Um abraço Peter www.alemdovinho.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, meu amigo Peter.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Mario,
    chará,
    mais um obrigado.
    E o nosso jantar, com ou sem super toscanos, aqui ou aí no Rio, está marcado.rsss
    Abração.

    ResponderExcluir
  4. Meu amigo chará, disponha. E quanto ao jantar, pode crer! Em breve vamos organizar.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Mario parabéns pelo prático post. Creio que o item 1 já pode ser atualizado.. rs!!! Chile, se não me engano já é o segundo maior exportador.

    abraço

    Paul

    ResponderExcluir
  6. Paul,
    Muito obrigado pela visita e pelo seu comentário.
    De fato estas estatísticas mudam continuamente (também dependendo da fonte). De qualquer forma o Chile certamente está na briga pelo pódio.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...