domingo, 17 de novembro de 2013

Chegou a rolha anti-pirataria!

Sabemos bem que o mercado do vinho oferece alguns riscos quanto à fraudes e falsificações. Agora uma empresa italiana promete acabar de vez com os vinhos “piratas”.
Pois é, a produtora de rolhas Brentapack, criou o IDCORK, um sistema de leitura de códigos impressos individualmente nas rolhas e accessível através de um aplicativo gratuito no próprio celular, tablet ou pc.
A idéia é baseada na convicção que as etiquetas podem ser copiadas e falsificadas, mas as rolhas não. Isto devido à composição das rolhas de cortiça, que  é como uma impressão digital, pois os furinhos naturais e as pequenas rachaduras tornam cada rolha única.
Na sede da empresa as rolhas são impressas com códigos individuais e depois fotografadas de todos os ângulos. Em seguida as informações são digitalizadas dentro de um banco de dados, junto com as características estéticas da rolha e mais detalhes sobre quando e onde ela foi colhida e produzida.
A partir daí, as vinícolas (que adquirirem as rolhas) podem acessar o banco de dados e adicionar qualquer informação, como marca, safra, região, uvas, data de engarrafamento, foto do rótulo e tudo mais.
Depois da abertura, o consumidor vai conseguir verificar a legitimidade destes dados simplesmente tirando uma foto da rolha com o próprio celular e o aplicativo vai logo emitir o resultado.
O custo da rolha vai incidir de cerca de 10% a mais para as vinícolas, mas a Brentapack tem certeza que valha a pena, tanto para os produtores quanto para os consumidores.
A companhia planeja produzir 50 milhões de “Rolhas ID” por ano. No momento elas não podem ser usadas para espumante, por causa da forte pressão dentro da garrafa que muda o aspecto da cortiça, mas já estão estudando uma versão para vinhos borbulhantes também.
E para o futuro a empresa promete rastreador GPS nas rolhas, assim quando o consumidor degustar um vinho, as vinícolas saberão em tempo real aonde cada garrafa é aberta, dado importante para os produtores conhecerem mais sobre o próprio mercado e sobre os próprios consumidores.




2 comentários:

  1. Na minha opinião, um rastreador GPS seria uma imensa invasão de privacidade, se forem utilizados para esse propósito. Imagino inclusive que seja ilegal, e passível de processo na justiça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei...afinal estamos todos sendo rastreados cada vez que usamos nosso smartphone ou tablet...
      De qualquer forma acredito que a vinícola não ia querer saber o endereço exato, mas somente a região/área onde ficam os seus consumidores.
      Obrigado pela visita e pelo seu comentário.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...