quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Prova de umas interessantes novidades da Espanha, confira



Na semana passada fui convidado a participar de uma degustação de uns novos rótulos espanhóis da importadora paulistana Santa Cruz. O evento aconteceu no novo Bistrô Ouvidor Botafogo, foi promovido pela Rio di Vino,  que representa a importadora no Rio de Janeiro e coadjuvado pela querida Monica Alves, que conseguiu juntar uma turma de profissionais tops da cidade (menos eu) para a degustação.

A importadora trabalha por enquanto apenas com rótulos da Espanha, de regiões mais e menos badaladas, mas pretende abrir em breve o caminho para outros Países também.

Primeiramente devo dizer que a nova filial do Bistrô Ouvidor está bonita e a comida, supervisionada pelo chef e amigo Efraim Moraes, muito boa (foram servidos uns canapés e bruschettas com pastas variadas, um arroz de pato e um doce de chocolate).

Indo para os vinhos,  degustamos 7 rótulos:

- Mas Bertran “Les Enfosques Brut Nature” DO Cava: um Cava tradicional, fine e leve, com boa perlage. Manteiga e nozes no nariz, no palato tem acidez refrescante e leves notas cítricas.



- Josep Masachs “Ressò Garnacha Blanca 2013” DO Catalunya: não me lembro de ter provado uma Garnacha branca antes, talvez criei muita expectativa pois o vinho me pareceu muito simples para meu gosto. Sublinhei as últimas 3 palavras pois não quero ser mal interpretado: o vinho é correto e deve encontrar centenas de adeptos, sobretudo os que curtem um branco despretensioso, leve e fresco. Afinal é uma pedida certa para o nosso clima tropical. Leves notas frutadas e florais.



- Emendis “Trio Varietal 2010” DO Penedès: corte de Macabeo, Muscat e Cchardonnay é um branco já mais estruturado. Maça e um mentolado, tem boa acidez e notável persistência. Perfeito para peixes e frutos do mar.


- Vall de Baldomá “Baldomà Selecciò 2011” DO Costers del Segre: denominação não tão conhecida por aqui, mas em crescimento. (veja alguns exemplares degustados aqui , aqui e aqui ).  Gostei bastante deste corte atípico de Merlot, Cabernet Sauvignon, Tempranillo e Bobal. A vinícola faz uma pequena produção artesanal e este vinho reflete o bom trabalho da casa: nariz intenso de fruta silvestre, alcaçuz e pimenta; na boca tem corpo médio/leve e discreta complexidade, ressaltando uns taninos um tanto rústicos (adoro), com bom equilíbrio geral.


- Gratallops “Finca Tobella Negre 2009” DOQ Priorat: vinhas de baixo rendimento produzem este tinto da região espanhola da moda. Corte com base em Garnacha e Carignan (mais umas pitadas de outras castas) é um vinho moderno, intenso e potente, refletindo bem o estilo atual do Priorato. Explosivo no nariz (ameixa, cereja, violeta), na boca é suculento com notas minerais. Final levemente adocicado.


 - Vicente San Juan “Blasòn de Romera Tinto Reserva 2004” DO Ribera del Duero: esta região vinícola talvez seja a minha preferida dentro da Espanha, pois nunca tomei um Ribera del Duero decepcionante. Este também não foge da regra. 100% Tempranillo maturado por 36 meses em carvalho, com seus 10 anos de vida tem ainda muito tempo de guarda pela frente. Os aromas, já evoluindo para os terciários, remetem a couro, tabaco e especiarias. Na boca é seco, com um conjunto de grande equilíbrio entre boa fruta, excelente acidez, taninos muitos finos e madeira bem integrada. Gastronômico.



- DSL “Phincas 2007” DOCa Rioja: um Rioja diferente, a partir da garrafa tipo borgonha. A Don Sancho de Londoño pertence ao grupo de modernistas da região, deixando do lado a austeridade clássica em função de imediatez, corpo, fruta, potência, maciez (não por acaso esta mesma garrafa ganhou 93 pontos pelo Robert Parker). Este vinho tem todas estas características. Basicamente Tempranillo, cortado com parcelas de Graciano, Garnacha e Viura, é bastante extraído e denso. Cereja, geléia de amora e chocolate no nariz. No palato é carnudo e volumoso, com textura aveludada e macia e taninos doces, de longa persistência.




Agradeço e parabenizo novamente todos os envolvidos no projeto. 

Esq. para dir.: chef Efraim Moraes (do Bistrô Ouvidor), sommelier Monica Alves, Victor Marecos e esposa (da Rio di Vino) e Felipe Istamati (da importadora Santa Cruz).

O Bistro

Arroz de pato

2 comentários:

  1. Você ( o melhor que nós temos) é profissional do vinho sim. O único amador no evento era eu. Um abraço. Tom Meirelles

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quis dizer que não sou top...Já você, enquanto amador é melhor que nós todos juntos!
      Grande abraço!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...