terça-feira, 11 de março de 2014

Um Rolland Collection sem muito brilho...

Recentemente provamos o Château  La Grande Clotte 2008. Um Bordeaux, mais precisamente da denominação de Lussac-Saint Émilion. O Château  é uma das 12 propriedades espalhadas pelo mundo do celebérrimo enólogo voador Michel Rolland, homem capaz de influenciar o estilo da viticultura e da enologia mundial. Sem entrar aqui no mérito da questão (mas tenho abordado o tema polêmico várias vezes nestas páginas) vamos ao vinho.
Corte com predominância de Merlot, como é tradição para os tintos da margem esquerda, completado com Cabernet Franc vindo de um vinhedo único de idade média de 20 anos, sendo algumas vinhas com mais de 60. Matura em barrica de carvalho usado por cerca de 1 ano.
O vinho não desaponta, mas também não empolga. Denso e encorpado (marca de casa Rolland), muita extração de cor. Nariz de fruta silvestre seca com toques herbáceos. Boa presença de boca, boa acidez, madeira presente e taninos macios. Achei o vinho meio que apagado, sem brilho nenhum. Digamos que seria uma boa opção de Bordeaux para o dia-a-dia, nada mais. Por isto poderia ser mais barato.

Vinho:
Château  La Grande Clotte 2008
Safra:
2008
Produtor:
Michel Rolland
País:
França
Região:
Bordeaux (Saint Émilion)
Uvas:
Merlot (80%) , Cabernet Franc (20%)
Alcoól (Vol.)
13,5%
Importadora:
La Pastina
Custo médio:
R$ 90,00

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...