terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Best of 2015!


Com um pouco de atraso, vamos conferir a nossa habitual lista dos melhores vinhos provados ao longo dos 12 meses passados. A lista é, como sempre, formada por apena um rótulo. Como não canso de falar, se quisesse escolher os 10 (ou mais) melhores vinhos do ano seria certamente injusto, primeiro porque entre os mais de 1800 vinhos diferentes provados em 2015 (de acordo com o meu Vivino) provavelmente acabaria esquecendo de alguns, e também não seria fácil ter um critério de avaliação para definir e distinguir entre, digamos, o 5º e o 6º lugar, por exemplo. Portanto o meu TOP10 (ou 100) se reduz a apenas um vinho, que também não necessariamente seja o melhor, mas trata-se apenas do primeiro que vem a cabeça; o rótulo que de qualquer forma criou uma experiência e uma lembrança digna de destaque.

O vinho em questão é o Château Haut-Brion 2004.



Eu sei, pode parecer meio banal, um premier grand cru classé de Bordeaux ganhando sobre todos..Mas ao longo do ano tenho provado (thanks God!) vários vinhos da mesma estirpe. Para você ter uma idéia, pouco antes tinha bebido um Margaux da mesma safra diretamente no Chateau, já este foi uma prova de uma maquina Enomatic, num wine bar de Bordeaux*. Inclusive em seqüência, logo depois deste mesmo rótulo, provei um Latour 1994 e um Angelus 2012. Mas este Haut-Brion, acredite, me emocionou.


O vinho é o único entre os 5 premier grand cru classé que não pertence a região de Medoc (agora sei o porquê), sendo localizado ao sul de Bordeaux, na denominação de Pessac-Léognan, região vinícola de Graves. Não consegui visitar a vinícola, mas tirei umas foto na porta ;-) 




Difícil de descrever esta belezura tamanha complexidade e elegância, os aromas dançam sem interrupção dos primários aos terciários, na boca pura seda, mas com enorme estrutura, grande finesse e harmonia única entre fruta, álcool, acidez e taninos. Pronto já agora dá para guardar na adega para mais uns 30 anos. Coloque a seu gosto todos os adjetivos positivos e mande em loop. 

Feliz ano novo a todos os leitores e amigos do Mondovinho!

* Provei o vinho em questão num espaço que era uma mistura entre loja, wine bar e galeria de arte, chamado Max Bordeaux, no centro da cidade. A decoração entre clássico e moderno e o amplo espaço são convidativos. Fiquei um bom tempo conversando sobre vinhos com um preparadíssimo e competentíssimo vendedor canadense. Fica a dica



0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...