sexta-feira, 11 de julho de 2014

Como um vinho de autor enganou a Wine Spectator

Bibi Graetz é um dos mais cultuados viticultores da Itália. Artista plástico de família norueguês, foi criado na Toscana, onde se rendeu ao encanto do vinho.

No final da década de 1990 a sua vizinha de casa, a vinícola Castello di Vincigliata, estava fechando as atividades, então resolveu juntar as economias e relevou a propriedade. Em colaboração com o enólogo de grande experiência Alberto Antonini (Antinori, Frescobaldi, E&J Gallo, Concha y Toro, Altos Las Hormigas, Neto Senetiner, Chakana e Allegrini, entre outros) ganhou rapidamente grande reputação e se tornou um produtor cult, especialmente graças ao seu vinho top Testamatta, que ganhou altas notas pela imprensa internacional, chegando a 98 pontos pela Wine Spectator.

Mas um vinho da linha intermediária dele (que provamos aqui) conseguiu confundir a mesma prestigiada revista.

Em 2009 Bibi lançou um novo tinto, o Grilli del Testamatta, que se posicionava abaixo do segundo vinho casa, o Soffocone di Vincigliata. Pois bem, os dois vinhos ganharam nesta mesma safra respectivamente 90 e 93 pontos pela Wine Spectator. Pena que os editores da revista não sabiam que de fato se tratava do mesmo vinho, mas com rótulo diferente.

Os rótulos são desenhados pelo mesmo Bibi, formado em artes visuais, o qual depois admitiu que naquele ano estava a fim de fazer uma brincadeira com um desenho diferente (o nome do rótulo é uma expressão italiana que remete a "ideias extravagantes"). Na verdade existia também uma outra questão nos bastidores: como vimos, o Soffocone foi proibido nos EUA por causa de seu rótulo, considerado obsceno (veja aqui ), portanto esta pareceu ser uma boa solução para contornar o problema.

Moral da história: confiar nas notas da crítica é bom, mas desconfiar é melhor.

Recentemente provamos o vinho em versão Grilli. É um corte típico toscano, com Sangiovese em predominância, com adição de Colorino e Canaiolo, de vinhedos de 40 anos de idade. Estagia por 15 meses em carvalho, mais quase 1 ano em garrafa.

O vinho não aposta na fruta, que é pouco evidente, mas mais em aromas e sabores defumados e tostados, tabaco misto ao couro, mais notas de terra molhada e algo picante. Na boca tem grande estrutura e acidez vibrante, os taninos são firmes, mas bem trabalhados, mantendo um justo equilíbrio entre moderna maciez e rusticidade característica da sangiovese. Recomendado para quem gosta do estilo toscano.


Vinho:
I Grilli del Testamatta
Safra:
2009
Produtor:
Bibi Graetz
País:
Itália
Região:
Toscana
Uvas:
80% Sangiovese, 10% Colorino, 10% Canaiolo
Alcoól (Vol.)
14%
Importadora:
Magnum
Custo médio:
R$ 95,00
Notas:
WS 90 (* ou WS93)

 
O artista/enólogo Bibi Graetz e seu "vinho de garrafão"

O Castello di Vincigliata







0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...