segunda-feira, 19 de junho de 2017

Quando e como decantar um vinho? Aqui um guia essencial (rápido e prático)

Nestas páginas já falamos de várias e inovadoras formas de decantação do vinho, como a garrafa decantadora, decanter sonoro, a garrafas auto-oxigenante, o decanter antissulfitoa  maquina para vinho em cápsula que decanta, e até decantamos um vinho no liquidificador, mas me dei conta que em momento algum abordamos a questão da maneira mais tradicional. 
Afinal, mesmo que já se tenha dito de tudo a respeito, as pessoas continuam me fazendo a mesma pergunta clássica: quando devo decantar meu vinho?

De fato a questão parece simples, mas na verdade pode apresentar diferentes níveis de complexidade.

Primeiramente é bom lembrar para os amigos literados e poetas que neste caso a frase “decantar um vinho” não é usada para louvar ou enaltecer as qualidades do líquido, e sim significa transvasar o mesmo de um recipiente (normalmente uma garrafa) para outro (normalmente algo similar a uma jarra).

A operação é delicada e até mesmo depois de décadas de experiência é possível tomar a decisão errada e só uma longa vivencia de vinhos de diferentes tipologias, idades e estruturas pode diminuir a margem de erro.

Mas com a nossa usual abordagem simplificadora vamos propor aqui um guia rápido e prático para você saber de maneira geral quando e como decantar seu vinho.  

É para decantar:

1) Normalmente vinhos tintos, menos frequentemente vinhos brancos, ainda mais raramente vinhos espumantes e vinhos de sobremesa.

2) Se o vinho for jovem e reduzido, ou seja, quando logo depois da abertura apresenta cheiros nada agradáveis (lembrando armário fechado, casca de queijo, ovo podre, enxofre, cebola, couve-flor, etc).

3) Se o vinho for maduro (dependo do tipo, pode ser depois de cinco, dez ou mais anos) e não desenvolve um bouquet aromático intenso e nítido, mas apresenta odores fracos e evasivos.

4) Se o vinho for de venerável idade (de 20 a 40 anos ou até mais) e parece meio adormecido e, portanto precisando “soltar as articulações”. Mas cuidado, esta operação é para ser feita com delicadeza poucos antes de beber o vinho, caso contrario o líquido pode morrer no decanter, ou seja, oxidar muito rapidamente.

Em todos os outros casos é mais que suficiente desarrolhar, servir e deixar uns minutos o líquido na taça, onde o vinho tem tempo de respirar e se expressar.

Finalmente, para os pontos 3) e 4) é preciso evitar de transvasar no decanter também eventuais depósitos (borra) presentes na garrafa. Você deveria servir cautelosamente o vinho colocando o pescoço da garrafa contra uma fonte de luz e parar assim que você ver a chegada de partes sólidas.


Como disse, o guia é longe de ser definitivo, mas de alguma maneira agora você tem umas diretrizes gerais para seguir, umas regrinhas básicas para se orientar na selva da decantação. 

Quanto ao formato, o de forma tradicional, assim como o da foto no começo do post, é mais que suficiente. Daí os designers de divertiram criando decantadores de formas improváveis sinuosas feitas apenas para quem gosta de impressionar os amigos, mas que não agregam nada quanto à sua função (aliás, em muitos casos dificultam o serviço e a limpeza). Mas se achar interessante, seguem alguns exemplos de decanters em comércio de formas inusitadas.














0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...